Papa Francisco diz que traição conjugal é um pecado pequeno

 


Durante viagem de retorno à Itália na última segunda-feira (6/12), o líder da Igreja Católica, papa Francisco, disse aos repórteres que “os pecados da carne não são os mais graves”, a respeito do sexo fora do casamento.

Segundo o pontífice, a luxúria não é o pior dos sete pecados capitais. Há pecados piores, como orgulho e ódio, citados como mais graves.

De acordo com a Agência Reuters, as classificações de Francisco sobre os piores pecados aconteceram devido à renúncia de um dos arcebispo de Paris, acusado de se envolver com uma mulher no início deste mês.

No entanto, Michel Aupetit, clérigo francês de 70 anos, negou ter relações íntimas com a mulher anônima, comportamento que quebraria sua promessa de celibato.

Foi uma falha contra o sexto mandamento (não cometer adultério), mas não total, de pequenas carícias, massagem feita à sua secretária – essa é a acusação”, esclareceu Francisco sobre as supostas ações de Michel. “Há um pecado aí, mas não do pior tipo”.

O papa disse que aceitou a renúncia de Aupetit não porque havia pecado, mas porque os rumores eram muito prejudiciais. “Ele foi condenado, mas por quem? Pela opinião pública, pela fofoca… ele não podia mais governar ”, disse o papa aos jornalistas.

“Aceitei a renúncia de Aupetit não no altar da verdade, mas no altar da hipocrisia”. Michel Aupetit também apresentou um pedido de desculpas por qualquer dano que poderia ter causado.

“Peço perdão àqueles que posso ter magoado”, disse ele em um comunicado. “Tenho ficado profundamente perturbado com os ataques. Oro por aqueles que, talvez, tenham desejado coisas ruins para mim, como Cristo nos ensinou.”

Metrópoles

Postar um comentário

0 Comentários