Na colaboração ao MPF, ex-secretário de Ricardo Coutinho detalha papel de Estela Bezerra e ex-prefeita do Conde na Orcrim Girassol

 

Na colaboração do ex-secretário dos governos de Ricardo Coutinho, Waldson de Souza, junto ao Ministério Público Federal, ele detalha a participação da deputada Estela Bezerra e da ex-prefeita do Conde, Márcia Lucena, na Orcrim Girassol. Ambas foram presas em dezembro de 2019 no âmbito da Operação Calvário. Confira:

ESTELIZABEL BEZERRA, conhecida por ESTELA BEZERRA,deputada estadual, ocupou o cargo de Secretária de Estado da Comunicação e posteriormente a Chefia de Gabinete do Governador no governo RICARDO COUTINHO. Amiga íntima e frequentadora da casa de RICARDO COUTINHO, atuava no núcleo político da Organização Criminosa.

Era não somente aliada política, mas também pessoa que gozava da extrema confiança do ex-Governador.
Tinha a função de cooptar políticos e cabos eleitorais para o PSB, por meio do uso da máquina pública, sobretudo na troca de cargos comissionados por apoio político, bem como favores administrativos na estrutura governamental. Além disso, tinha a incumbência de impedir procedimentos investigatórios. Além disso, tinha a incumbência de impedir procedimentos investigatórios do Poder Legislativo contra o governo, chegando a discutir e implementar estratégias juntamente com Ricardo para esvaziamentos do plenário da casa legislativa, bem assim o esgotamento da capacidade regimental de instalação de comissões parlamentares de inquérito, por meio da propositura de instalação de CPIs cujo único objetivo era impedir que fossem instaurados procedimentos de investigação contra o o Estado, com claro desvio de finalidade.

ESTELA foi demasiadamente reforçada com a nomeação de sua companheira Cláudia Véras em 2016 para a pasta da Saúde, quando em verdade já comandava a CINEP, a FUNESC, a ESPEP, a Secretaria de Estado da Mulher e Diversidade Humana, grande parte da Educação, grande parte da Secretaria de Esportes, a Casa Civil, o IPHAEP, a Gerência Regional de Saúde de de Cajazeiras, o Hospital de Cajazeiras, a Gerência de Educação de Cajazeiras, a SUDEMA e diversos outros espaços importantes.

Com esse poder de nomear as pessoas no Estado ela capitalizava apoios e usava a máquina pública em troca de apoio perene de lideranças do meio mais popular e outras lideranças políticas já consolidadas, também servia de sustentáculo político para barrar determinados atos legislativos da oposição e participava de forma efetiva para impedir procedimentos investigatórios do Poder Legislativo contra o governo, chegando a discutir e implementar estratégias juntamente com Ricardo para esvaziamentos do plenário da casa legislativa, ingresso de CPIs apenas para impedir protocolo de outras que fosse maléfica ao Governador.

MÁRCIA DE FIGUEIREDO LUCENA

MÁRCIA LUCENA ocupou o cargo de Secretária de Estado da Educação após a exoneração de Afonso Scocuglia, e, posteriormente, foi escolhida por RICARDO COUTINHO como candidata do PSB à prefeitura do Conde, elegendo-se nas eleições de 2016, passando a ocupar o cargo de janeiro de 2017 até os dias atuais. Fazia parte do núcleo político da Organização Criminosa, gozando de relação extremamente próxima com RICARDO COUTINHO, ESTELA BEZERRA e CLÁUDIA VÉRAS, e atuava na estruturação das operações delituosas na pasta de Educação, e, após, já como prefeita, atuava de forma a possibilitá-las no âmbito da gestão municipal do Conde.

Politika

Postar um comentário

0 Comentários