Vereadores da Câmara de Bayeux aprovam 12 requerimentos, debatem Agosto Lilás e decidem por arquivamento de denúncia contra Luciene Gomes

  De volta do recesso parlamentar, os vereadores da Câmara Municipal de Bayeux realizaram, nesta terça-feira (10), a primeira sessão ordinária do segundo semestre de 2021. Na oportunidade, os parlamentares aprovaram 12 requerimentos envolvendo infraestrutura, esporte, saúde, entre outros temas. Os pares também aprovaram, com voto contrário de Jefferson Oliveira (PL), a abertura de crédito adicional especial para o município. O pedido foi feito em regime de urgência.

Entre os principais requerimentos aprovados estiveram o Voto de Aplauso para toda a equipe de vacinação contra a Covid-19 de Bayeux, representada pela diretora Milena Kaline da Costa Silva, de autoria de Nildo da Casa Branca (PTB); construção de praça na rua José Rodrigues Moura, no Jardim São Lourenço, de Cal do Sesi (PTB); retomada das obras da Praça da Paz e o fechamento dos buracos e pavimentação das ruas do Mário Andreazza, ambos de Hermerson Caminhoneiro (PP).

Nesta terça-feira também foi aprovado o Voto de Repúdio ao DJ Ivis, de autoria de Val da Nordece (Republicanos), pelo desrespeito ao direito e proteção das mulheres de todo o país. O pedido foi protocolado no dia 03 de agosto, um dia após a arquiteta e ex-esposa do DJ, Pamella Holanda, vir a público comentar sobre a violência doméstica que sofreu e os perigos desse crime. Ivis foi preso no último dia 14 de julho.

Além do Voto de Repúdio, a violência doméstica e familiar contra as mulheres, através da campanha Agosto Lilás, também foi tema de discursos durante a sessão ordinária. A vereadora Rosiene Sarinho (PP) citou números nacionais, parabenizou a secretaria da Mulher pelo trabalho que vem desenvolvendo no município e pediu que os casos sejam denunciados e não silenciados. Dani Dantas (Cidadania) e França (PL) acompanharam a colega e chamaram os presentes para participar da audiência pública sobre o tema que vai acontecer nesta quarta-feira (11).

A sessão desta terça ainda contou com o retorno do vereador Adriano do Táxi (PL) que havia se licenciado para assumir a secretaria de Ação Social e logo após a secretaria de Saúde de Bayeux. Durante seu pronunciamento, o parlamentar citou os feitos conquistados nas pastas durante sua gestão e agradeceu a prefeita Luciene Gomes (PDT) pela oportunidade e pelo aprendizado.

Denúncia contra Luciene

Por 16 x 1, os parlamentares decidiram arquivar a denúncia do eleitor Alef do Nascimento Silva, com pedido de cassação de mandato por infrações político-administrativas e atos de improbidade contra a prefeita Luciene Gomes. Na denúncia consta que a gestora teria ferido a Lei ao usar as verbas advindas dos royalties com pagamento de dívidas sem obedecer a ordem cronológica. No plenário, Betinho da RS (PDT) explicou que a denúncia por si só já era natimorta.

“O próprio denunciante informou com efeito jurídico que não sabia do que se tratava a denúncia e que foi usado de forma vil porque um amigo disse que não iria acontecer nada. Essa denúncia por si só é natimorta. O cidadão foi induzido ao erro para realizar uma denúncia grave contra uma gestora que foi eleita pelo povo, isso por ela ter pago dívidas do município”, informou Betinho.

Rosiene também usou a tribuna para mostrar solidariedade à prefeita. “Como mulher, me sensibilizo com uma prefeita que vem lutando, tentando fazer nossa cidade avançar, e sofre esse tipo de represália”, disse. Os dois parlamentares foram acompanhados pelos colegas na análise da denúncia, observando que a mesma seria infundada, com exceção do vereador Jefferson Oliveira que votou contrário ao arquivamento por acreditar que houve sim irregularidade.

Maryjane Costa

ASCOM

Postar um comentário

0 Comentários