Presidente da Associação Lucenense de Imprensa processa “Eros Produções” por crime de direitos autorais

  Presidente da Associação Lucenense de Imprensa processa “Eros Produções” por crime de direitos autoraisO jornalista Marcos Lima (Registro Profissional DRT/Federação Nacional dos Jornalistas 768), presidente da Associação Lucenense de Imprensa, informou na noite desta terça-feira, 17, que acionou seu advogado para representar criminalmente contra o cidadão intitulado “Eros Produções”, que diariamente vem usando suas matéria jornalísticas como se fosse de sua autoria, infringindo a Lei Federal 9.610 de fevereiro de 1998 que atualiza e consolida a legislação sobre direitos autorais e dá outras providências.

De acordo com o profissional de comunicação, que já integrou a diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Paraiba, Associação Paraibana de Imprensa e Federação Nacional dos Jornalista (Fenaj), tem sido uma praxe diaria o cidadão “Eros Produções” reproduzir as matérias do jornalista, sem, no mínimo colocar o crédito da matéria, deixando a entender que foi ele próprio que redigiu.

Um desses exemplos foi a matéria publicado no blog do Marcos Lima, datada do último sabado, dia 14, intitulada “BOMBA – Batista Lima entrega cargo de assessor de comunicação da Prefeitura de Lucena”. Na ocasião, o cidadão “Eros Produções, que não tem formação acadêmica em Jornalismo, nem Radialismo e qualquer outra área de Comunicação Social, usou de forma indevida a matéria e republicou em diversos grupos de WhatsApp da cidade de Lucena, sem citar a fonte da matéria e deixando dúvida ao leitor sobre a procedência da matéria.

Um outro exemplo foi o vídeo produzido pela equipe de futebol feminino do Clube Recreativo Kashima, cujo presidente é o jornalista Marcos Lima, divulgado pelo falso jornalista “Eros Produções” sem que tivesse autorização. O vídeo foi copiado e divulgado na página do facebook do Lucena em Dia, de responsabilidade do cidadão que está sendo representado criminalmente.

“Interessante…muito bom a pessoa reproduzir um texto sem ser de sua autoria e confundir o leitor. Esse cidadão deve ser responsabilizado por este crime. Um ato imperdoável que não podemos usar algo que não seja nosso”, disse Marcos Lima, afirmando que “Isso é um ato de pessoa inescrupulosa, capaz de fazer algo muito pior. Um crime que deve ser combatido com veemência. Uma pessoa que a cadeia ainda é muito pouco”, finalizou.

Postar um comentário

0 Comentários