É ouro! Malcom decide na prorrogação, Brasil vence a Espanha e conquista o bicampeonato olímpico

 Brasil e Espanha entraram em campo na manhã deste sábado, 7, com um único objetivo, conquistar a medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio e de quebra o bicampeonato nos jogos. E a seleção comandada por André Jardine chegou a perdeu um pênalti no primeiro tempo, e chegou a abrir o placar minutos depois, no entanto cedeu o empate aos espanhóis no segundo tempo.

Na prorrogação, a mudança de André Jardine ao colocar Malcom no time, a equipe brasileira cresceu e na segunda etapa, Antony fez um grande lançamento para o atacante marcar e sacramentar a vitória brasileira pelo placar de 2 a 1 e o bicampeonato do Brasil.

O jogo

A partida começou com a Espanha melhor e marcando os jogadores brasileiros na saída de bola, e o Brasil só começou a entrar no jogo de fato a partir dos 10′ do primeiro tempo.

Os espanhóis por pouco não abriram o placar aos 16′, Oyzarbal aproveitou cruzamento da direita, e o zagueiro Diego Carlos apareceu para tirar a bola em cima da linha e evitar o gol da Espanha.

Depois do susto, o Brasil deu o troco, a Espanha saiu mal, e Richarlison recebeu dentro da área, o atacante só rolou para Douglas Luiz que tentou o chute, mas o goleiro Unai Símon apareceu para afastar o perigo e colocar a bola para escanteio.

As coisas começaram a melhorar para a seleção brasileira, e em mais uma oportunidade, Guilherme Arana encontrou Richarlison dentro da área que chegou batendo, mas a bola foi na rede pelo lado de fora.

Depois do Brasil criar duas grandes chances, foi a vez da Espanha assustar, após cruzamento da esquerda, ninguém da zaga do Brasil cortou, e a bola caiu nos pés de Asensio que arriscou, mas Santos caiu para fazer a defesa.

O atacante Matheus Cunha começou a aparecer na partida, primeiro sofreu falta pela esquerda do ataque. Após a bola ser alçada na área, o atacante dividiu com o goleiro adversário, e o árbitro de vídeo apareceu, para marcar a penalidade. Richarlison foi para a cobrança, mas isolou e perdeu a chance de colocar a seleção brasileira na frente.

Nos momentos finais o Brasil passou a pressionar, após cruzamento, Richarlison arriscou, mas defesa espanhola afastou. A bola ficou com o Brasil e Claudinho fez o cruzamento, parecia que ninguém ia ficar com a bola, mas Daniel Alves apareceu para manter a bola em jogo e voltar ela para área adversária. Na sequência, Matheus Cunha aproveitou a bobeada da defesa espanhola, dominou e tocou no canto do goleiro para fazer 1 a 0 e descer com a vantagem para o intervalo da decisão.

Brasil começou melhor na segunda etapa, mas Espanha melhorou com mudanças e levou para a prorrogação

O Brasil entrou com outra postura e em busca do segundo gol para ficar mais tranquilo no jogo. E aos 5′ da etapa complementar, Matheus Cunha lançou Antony que saiu na cara do goleiro espanhol que fez a defesa, mas a arbitragem marcou o impedimento no lance.

A equipe brasileira teve mais uma chance, Claudinho cabeceou e lançou Matheus Cunha que saiu na velocidade, o atacante encontrou Richarlison que deixou o zagueiro no chão e bateu no canto, mas o goleiro Unai Símon com o pé salvou e ainda contou com a sorte, pois a bola foi na trave para evitar o segundo gol brasileiro.

A pressão da Espanha valeu a pena e após cruzamento da direita, Oyazarbal apareceu para de primeira deixar tudo igual 1 a 1.

Após o empate espanhol, a partida ganhou outro contorno e com os jogadores da Espanha sempre pressionando o árbitro a cada lance. E o Brasil sem conseguir se encontrar na segunda metade do segundo tempo.

A trave também salvou o Brasil aos 40′ da segunda etapa, após cruzamento pela direita de Olmo, a bola da equipe espanhola fez uma curva e carimbou o travessão do goleiro Santos.

E aos 42′ Bryan arriscou de fora da área, e mais uma vez o travessão salvou o Brasil de tomar o gol da virada. Após o empate no tempo normal em 1 a 1 a decisão da medalha de ouro foi para a prorrogação

Prorrogação:

A equipe brasileira foi para a prorrogação com Malcom em campo, e o atacante passou a pressionar a defesa espanhola. Após três cobranças de escanteio, a bola sobrou com a Espanha, mas Claudinho tomou a bola e arriscou.

A pressão brasileira continuou na primeira etapa do tempo extra e principalmente pela esquerda com Guilherme Arana e Malcom criando as melhores chances, mas a zaga espanhola aparecia nos últimos momentos para cortar e afastar o perigo.

O Brasil chegou ao gol do desempate na segunda etapa da prorrogação, aos 2′ da etapa final do tempo extra, Malcom recebeu lançamento de Antony e na velocidade ganhou da marcação, o atacante invadiu a área e tocou na saída do goleiro Unai Símon para fazer 2 a 1.

Com a vitória pelo placar de 2 a 1 o Brasil conquistou o bicampeonato olímpico, Rio de Janeiro em 2016 e Tóquio em 2020/2021.

DM

Postar um comentário

0 Comentários