Brasil perde da França e está eliminada no handebol feminino

  O handebol feminino do Brasil está eliminado das Olimpíadas de Tóquio 2020. A seleção brasileira perdeu para a França por 29 a 22, nesta segunda-feira, e está fora das quartas de final. As Leoas tinham a vantagem de poder empatar o jogo para seguir adiante. Porém, falharam demais tanto no aproveitamento dos arremessos quanto no esforço defensivo e não foram páreo para as atuais vice-campeãs olímpicas, na última rodada da fase de grupos.

 Infelizmente o trabalho que fizemos foi muito bom, mas não foi suficiente. Sabíamos que, se cometemos muitos erros no ataque, como aconteceu contra a Espanha, a gente iria tomar o contra-ataque e não daria tempo de defender, porque elas têm jogadoras muito rápidas. Do nosso time não pode cobrar falta de vontade. A gente pecou no excesso de vontade, na verdade. O querer demais também atrapalha. Infelizmente cometemos os erros de finalizações. Se não faz o gol, não dá tempo de retornar - analisou Alexandra, uma das atletas mais experientes da seleção.

Com a terceira derrota seguida em Tóquio, o Brasil encerrou a campanha com 3 pontos no grupo B e fora da zona de classificação para as quartas de final. Avançam as quatro primeiras, e a seleção ficou em sexto lugar, na lanterna da chave. Na estreia, as Leoas empataram com as russas, atuais campeãs olímpicas, e depois ganharam da Hungria. Em seguida, somaram derrotas para Espanhapara a Suécia e agora para a França.

Com a eliminação na primeira fase, o handebol feminino do Brasil não conseguiu repetir a quinta colocação do Rio 2016, melhor campanha da equipe em Jogos Olímpicos.

Campeã mundial em 2013, a seleção brasileira feminina iniciou um processo de renovação depois das Olimpíadas do Rio 2016, quando foi eliminada nas quartas de final pela Holanda. Antes de Tóquio 2020, o país somou resultados ruins nos dois Mundiais disputados (2017 e 2019), sequer passando da fase de grupos em ambas as edições.

 
O Brasil voltou com a defesa incomodando mais e conseguiu diminuir a diferença para três gols (15 x 18) nos primeiros cinco minutos. Faltou aproveitar uma situação de superioridade numérica, o que as francesas fizeram bem quando Larissa foi suspensa (16 x 21). Ao tentarem movimentar mais a bola no ataque, as brasileiras passaram a desperdiçar muitos arremessos. Os tempos pedidos pelo técnico Jorge Dueñas também não surtiam efeito e a defesa voltou a dar espaços. As francesas foram ampliando o marcador e chegaram a dez de vantagem (18 x 28) aos 22 minutos. As Leoas tentaram reagir, mas o aproveitamento das vice-campeãs olímpicas estava excelente, e a seleção brasileira saiu de quadra com a derrota por 29 a 22 e eliminada, enquanto as francesas comemoraram a classificação para as quartas de final.
 
Globo Esporte

Postar um comentário

0 Comentários