Promotor Antônio Hortêncio Rocha é o mais votado par ser o novo Procurador-geral de Justiça

  A lista tríplice para a escolha do novo procurador-geral de Justiça, composta pelos promotores Antônio Hortêncio Rocha Neto, Francisco Bergson Formiga e Amadeus Lopes Ferreira, será encaminhada nesta sexta-feira (30) ao governador João Azevêdo, cuja nomeação é de livre escolha do gestor.

Os três foram os mais votados pelos membros do Ministério Público da Paraíba e compõem a lista tríplice de nomeação do procurador-geral para o biênio 2021/2023. O processo eleitoral ocorfatoreu nesta quinta-feira (29) de forma remota.

A lista é encabeçada pelo promotor Antônio Hortêncio que obteve 163 votos, o que corresponde a ter recebido votos de 75,8% dos membros votantes. Em segundo ficou o promotor Francisco Bergson, com 107 votos. Em terceiro, está o promotor Amadeus Lopes, com 67 votos. O quarto colocado da eleição foi o promotor João Geraldo Barbosa, que obteve 31 votos. Estavam aptos a votar 220 promotores e procuradores de Justiça e 215 votaram.

Divulgação – O resultado da eleição foi divulgado durante reunião por videoconferência da comissão eleitoral. Participaram o presidente da comissão, procurador Doriel Veloso Gouveia e os integrantes, os promotores de Justiça Cláudio Antônio Cavalcante e Francisco Lianza Neto.

Eles destacaram a tranquilidade do pleito e a segurança do sistema de eleição desenvolvido pela Diretoria de Tecnologia da Informação (Ditec) do Ministério Público. Ao final, a comissão lavrou a ata com o resultado e encaminhou ao procurador-geral Francisco Seráphico da Nóbrega que encaminhará a lista a João Azevêdo.

A reunião contou com a participação ainda dos quatro candidatos, do procurador-geral Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho; do corregedor-geral, procurador Alvaro Gadelha; do ouvidor do MPPB procurador Aristóteles Santana; e do presidente da Associação Paraibana do MP, promotor Leonardo Quintans.

A instituição tem um prazo de três dias para encaminhar a lista tríplice ao governador do Estado, que terá um prazo de 15 dias para nomear o procurador-geral de Justiça dentre os integrantes da carreira do Ministério Público constantes da lista tríplice.

Caso o governador não efetivar a nomeação nos 15 dias que se seguirem ao recebimento da lista, será investido automaticamente no cargo o membro do Ministério Público mais votado.

Fonte: Sony Lacerda

Postar um comentário

0 Comentários