Ônibus com time do Umuarama Futsal tomba, mata duas pessoas e fere 20 na BR-376

  Um ônibus com o time do Umuarama Futsal, do noroeste do Paraná, tombou na BR-376, em Guaratuba, no litoral do estado, na manhã desta quinta-feira (8). Segundo a concessionária que administra o trecho, duas pessoas morreram, duas ficaram gravemente feridas e outras 18 tiveram ferimentos leves.

Segundo a diretoria do Umuarama Futsal, os mortos são um dos motoristas, Osvaldo Silva, e o coordenador da categoria de base do clube, Paulo Vitor Gonzales.

De acordo com a Secretaria Municipal de Esportes de Umuarama, o ônibus pertencia ao próprio Umuarama Futsal.

O acidente aconteceu na altura do km 667, no sentido Santa Catarina. Em janeiro, um outro acidente mais grave envolvendo um ônibus aconteceu a um quilômetro do trecho, deixando 19 mortos e 31 feridos.

O técnico da equipe, Nei Victor, estava no ônibus e disse que o time viajava para Jaraguá do Sul, onde disputaria uma partida pela Taça Brasil de Futsal. O time catarinense emitiu uma nota informando o cancelamento da partida.

Segundo a concessionária que administra o trecho, os feridos foram levados para o Hospital São José de Joinville e o Pronto Atendimento de Garuva, em Santa Catarina.

A concessionária que administra o trecho informou que uma carreta e um carro também se envolveram na batida, mas nenhum dos ocupantes destes dois veículos ficaram feridos.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), a pista está bloqueada para atendimento da ocorrência.

Segundo a polícia, por causa do bloqueio, dez veículos se envolveram em um engavetamento na altura do km 660. Sete pessoas ficaram feridas.

Às 11h30, a PRF informou que a fila de veículos era de 17 km.

Causa do acidente

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), uma perícia será feita no local e no veículo para identificar a causa do acidente com o ônibus. A direção do Umuarama Futsal informou que a manutenção do ônibus estava em dia.

O ônibus viajava do Pará para Santa Catarina.

O laudo pericial do acidente feito pela Polícia Científica do Paraná apontou que o motorista trafegava em alta velocidade e que o freio funcionava parcialmente, no momento do acidente.

G1

Postar um comentário

0 Comentários