CPI ouve nesta terça servidora da Saúde que autorizou contrato da Covaxin

  CPI da Covid no Senado ouvirá nesta terça-feira (6) a servidora do Ministério da Saúde Regina Célia Silva Oliveira, apontada como responsável por autorizar o contrato para a aquisição da vacina Covaxin, produzida pelo laboratório indiano Bharat Biotech.

Regina foi citada na CPI pelo também servidor da pasta Luís Ricardo Miranda, que foi quem apontou irregularidades no contrato de compra das vacinas pelo Ministério. Ele é irmão do deputado federal Luis Miranda (DEM-DF) e os dois disseram à comissão que avisaram o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre a suposta irregularidade no contrato.

Na reunião que tiveram com Bolsonaro, o presidente teria citado o nome do líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR), como estando envolvido no esquema.

Na semana passada, o STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou um inquérito a pedido da PGR (Procuradoria-Geral da República) para apurar se Bolsonaro sabia das suspeitas de irregularidades e não denunciou o caso aos órgãos de investigação, o que poderia caracterizar crime de prevaricação.

Já as negociações para a aquisição da vacina Covaxin são investigadas pela CPI da Covid, pelo Ministério Público Federal, Pela Polícia Federal e pelo Tribunal de Contas da União.

IstoÉ

Postar um comentário

0 Comentários