Prefeito de CG irritado por críticas a Bolsonaro só não cancelou presença de Juliette na Live de Elba porque pressão da Bohemia foi mais forte que a da CEF

 Administrada por um prefeito - Bruno Cunha Lima (PSD) - 100% bolsonarista, Campina Grande por um triz não viu cancelada a apresentação da sua nova “pop-star” (Juliette Freire) na Live em que Elba Ramalho festejou o São João da cidade d’O Maior São João do Mundo, que aconteceu na véspera do festejo, a noite de 23 de junho.  


Anunciada com alarde, a presença de Juliette no arraial do Sítio São João gerou muita expectativa não apenas na cidade, mas em todo o Brasil. Mas as declarações dela em apoio ao “Fora Bolsonaro” irritaram o prefeito, que se preparara para ir homenageá-la ao vivo e desistiu, e geraram reclamações dos patrocinadores públicos da Live, principalmente da Caixa Econômica Federal, maior cota comercial do evento.

APALAVRA apurou junto a um dos organizadores da festa que Juliette só não foi desconvidada porque houve pressão de outro patrocinador master, a cervejaria Bohemia, com quem Juliette tem contrato nacional.

Como solução paliativa, para não ferir ainda mais os brios da troupe de Bolsonaro e os patrocinadores públicos, a organização decidiu não mostrar no ar as marcas das empresas do Governo Federal quando a maquiadora aparecesse no palco, o que de fato aconteceu.

As marcas do Governo Bolsonaro e da Caixa Econômica Federal eram apagadas quando Juliette subia ao palco

A recepção a Juliette por parte da prefeitura foi a mais formal possível, tendo o prefeito Bruno Cunha Lima sido representado pela secretária Rosália Lucas, que deu de presente à ganhadora do BBB 2021 um jarro com cacto artesanal produzido por artesão local e uma boneca ‘Juliette’ de pano, também confeccionada por artesãos campinenses.  

A Palavra Online

Postar um comentário

0 Comentários