Justiça julga como improcedente processo que pedia cassação da chapa do Cidadania em Bayeux

 Exclusivo: Justiça julga como improcedente processo que pedia cassação da chapa do Cidadania em BayeuxO juiz eleitoral Nilson Bandeira do Nascimento, da 61ª Zona Eleitoral de Bayeux, julgou na tarde desta segunda-feira (14), um dos processos que pediam a casacão da chapa do partido Cidadania em Bayeux. A legenda estava sendo acusada de supostamente ter cometido fraude à cota de gênero nas eleições municipais de 2020.

Na decisão, o juiz julgou como improcedente o pedido formulado na presente ação de impugnação de mandato eletivo. Com isso, a vereadora Dani Dantas (Cidadania), que poderia ter seu mandato cassado, segue na Câmara Municipal de Bayeux (CMB).

Em sua defesa, o presidente municipal do Cidadania, Jefferson Kita, alegou que não havia sido notificado da desistência da candidata Maria Aparecida e por isso não fez a substituição no tempo hábil previsto pela legislação eleitoral.

Kita também afirmou que a então candidata desistiu da sua candidatura e foi apoiar candidatos adversários da sua coligação.

O processo do Cidadania foi o primeiro a ter um desfecho. Os partidos PTB e PTC também respondem a processos sobre fraude na cota de gênero.

Postar um comentário

0 Comentários