Globoplay sai do ar após estreia do documentário de Juliette e tem milhões de menções no Twitter

  O documentário "Você Nunca Esteve Sozinha - O Doc de Juliette" estreou nesta terça-feira (29) no Globoplay, no entanto, para o descontentamento dos fãs da campeã da 21ª edição do Big Brother Brasil, o sinal de transmissão da plataforma de streaming caiu.

Muitos admiradores da paraibana reclamaram nas redes sociais com a queda do sistema. "O Globoplay caiu com um minuto de lançamento que inferno viu", pontuou um internauta. Outros ressaltaram que o erro aconteceu devido ao grande sucesso da advogada e maquiadora.

"O Globoplay caiu meu pai! Que sucesso absoluto é esse Juliette", pontuou outra. Uma página dedicada à campeã do BBB21 publicou que o documentário passou a ser o mais visto da plataforma. "Em menos de uma hora de lançamento o documentário de Juliette se torna um dos mais vistos na plataforma do GloboPlay. O poder!".

Procurado, o Globoplay ainda não comentou sobre a publicação.

A série tem direção geral de Patricia Carvalho e direção de Patricia Cupello e irá abordar a origem de Juliette no interior da Paraíba, sua relação com sua família e amigos, e momentos difíceis em sua vida, como a perda de sua irmã mais nova, vítima de um AVC aos 17 anos.

Também será possível ver as escolhas profissionais da maquiadora, sua paixão por música e os rumos que a levaram a 21ª edição do Big Brother Brasil. "Quando soube do interesse da Globoplay em fazer um documentário sobre minha trajetória, eu mal pude acreditar!", disse Juliette Freire, 31.

"Consagrada campeã do BBB21, Juliette se depara com o reconhecimento que conquistou em 100 dias. Um mergulho no passado resgata momentos de sua infância e adolescência na Paraíba", diz o resumo do primeiro episódio do documentário.

A hashtag levantada por fãs e seguidores de Juliette com o primeiro episódio do documentário sobre a vida da paraibana ultrapassou um milhão de menções no Twitter. A tag #VoceNuncaEsteveSozinha foi mencionada, curtida e compartilhada por muitos internautas. Esse é o nome do primeiro episódio desse documentário que aborda a infância, adolescência de Juliette.

Volta à Campina Grande

A paraibana Juliette Freire demonstrou ser um grande fenômeno do reality Big Brother Brasil. Ela foi a campeã da edição 2021 com mais de 570 milhões de votos, 90,15% de toda a votação. Foi quase uma unanimidade e na Paraíba a grande final do programa parecia até final de copa do mundo. Em João Pessoa teve festa em casa e muitos gritos depois do discurso emocionante de Tiago Leifert.

Juliette, que nasceu em Campina Grande, conquistou o Brasil e levou a Paraíba para o mundo. No último dia 15 de junho, um outro grande prêmio foi entregue a ela, a possibilidade de rever sua família. Ainda durante a tarde, ela desembarcou na Grande João Pessoa e seguiu para a sua cidade natal por terra. Acompanhando a paraibana, uma equipe de assessores e também a os cinegrafistas e produção do seu documentário, lançado hoje (29) na plataforma de streaming Globoplay.

Ao chegar, em um momento de muita emoção, Juliette reviu os irmãos e os sobrinhos, após muito tempo fora. Juliette cresceu no bairro do Pedregal. Por lá os moradores relembraram o quanto ela sempre foi querida e comemoraram a vitória da paraibana. Mas por trás da vitória da campeã existe uma história de vida cercada de batalhas.

História

A trajetória de Juliette começa em Campina Grande, no bairro do Pedregal. Na Avenida 27 de Julho fica a casa onde ela cresceu. Nessa mesma casa ela voltou a aparecer, mas dessa vez na televisão. A atual moradora da residência, a atendente de telemarketing Micaela, revela o quanto sente orgulho.

"Quando ela fez a chamada do BBB já saí mandando mensagem no WhatsApp para a vizinhança. A Juliette representou muito bem o nosso Nordeste, como eu trabalho de atendente já peguei muitos clientes que criticam o Nordeste, então foi muito importante a representatividade dela lá dentro", disse.

No bairro, os vizinhos saíram nas ruas para celebrar a conquista da mais nova milionária do Brasil. Uma das vizinhas diz que viu a paraibana crescer na rua de casa e sabe bem o começo dessa trajetória. O irmão mais velho, Júnior, que ainda mora no bairro do Pedregal, lembra dos momentos vividos pela família na juventude da maquiadora.

"Foi sofrida e de muito trabalho. A gente sempre teve que acordar cedo para ir para oficina, enquanto ela ficava com a mãe dela cortando cabelo, ela e a minha outra irmã mais nova. Era muito sofrido, a gente saia de manhã chegava de noite em casa", revelou.

O Pedregal ficou pequeno para Juliette. Paula, a melhor amiga de adolescência da vencedora do BBB, conta que Juliette sempre teve grandes sonhos.

"Ela sempre cantou muito bem e a gente sempre conversava. Ela dizia que queria ser famosa, queria morar fora, queria ser conhecida nacionalmente, e na época nós achávamos até que ela sonhava alto demais, mas para você ver né como ela é determinada, insistiu naquele sonho, perseverou e acreditou", disse.

Após 100 dias confinada na casa mais vigiada do Brasil, Juliette saiu com um milhão e meio de reais e também milhões de seguidores no Instagram, número que não parou de crescer.

ClickPB

Postar um comentário

0 Comentários