Vereador João Sufoco denuncia mais funcionários fantasmas e fraude em licitação na Prefeitura de Alhandra: “esposa concorreu com marido por contrato”


Mais uma vez, o vereador João Sufoco (DEM) da bancada de oposição ao prefeito Marcelo Rodrigues (MDB), colocou sua metralhadora giratória para funcionar na cidade de Alhandra,  denunciando da tribuna da Câmara Municipal nesta segunda-feira (18), mais uma vez, a ocorrência de servidores fantasmas na atual gestão.

O parlamentar usou a tribuna para tornar público que o servidor Genilson Cabral, nomeado no cargo de assessor da Controladoria, com salário de R$4.400, sequer sabe onde é o seu setor de trabalho no município. Genilson é um rico empresário, proprietários de grandes lotes de terra em Alhandra.

 João Sufoco que é advogado vem provando com documentos as irregularidades na gestão e já denunciou a existência de funcionários fantasmas, tendo sido logo refutado pelo prefeito Marcelo. Contudo, o vereador trouxe mais um nome e promete apresentar outros nas próximas sessões, desnudando, assim, o esquema ilícito de ocupação de cargos públicos.

O vereador denunciou também uma fraude em uma licitação de locação de veículos, apresentou documentos e deu detalhes.

CLIQUE AQUI E VEJA O CONTRATO MILIONÁRIO COM EMPRESA

Contou que a prefeitura, no dia 29 de janeiro de 2021, firmou contrato com Maria Robervânia Maceno no valor de quatrocentos e quarenta e cinco mil reais para locação de veículos, por um prazo de três meses. Em abril, houve aditivo para estender o prazo do contrato por mais dois meses, no valor de mais de duzentos e noventa mil reais.

Até aí não haveria nenhuma ilicitude, desde que a empresa que concorreu com Robervânia no processo licitatório não fosse do seu esposo, de nome José Zilmar, sócio da mulher em outras empresas.

O parlamentar ainda destacou que nessa licitação houve a participação de uma empresa fantasma, cujo CNPJ não consta no banco de dados da receita federal.

João Sufoco garantiu que encaminhará toda a documentação ao Ministério Público para providências.

 

Veja documentos:

  

Postar um comentário

0 Comentários