Paraíba deve adotar decreto mais restritivo no início de junho após alta de internações por Covid-19, avalia Geraldo Medeiros

 Válido até o próximo dia 2 de junho, o decreto estadual em vigor com medidas restritivas que visam barrar o avanço da Covid-19 na Paraíba pode ser substituído por outro mais severo. É o que avalia o secretário de Saúde, Geraldo Medeiros, após o crescente número nos níveis de transmissão e de internações em decorrência da doença ser registrado no Estado, ocasionando, consequentemente, a lotação dos leitos hospitalares.

“Através do monitoramento diário, observamos a migração da bandeira laranja para a vermelha nos municípios. Após a análise desse contexto epidemiológico, o estado anunciará as medidas. O atual decreto já contempla as limitações aos municípios que apresentam as bandeiras vermelhas e laranjas”, explicou.

O secretário alerta para o cenário atual da pandemia na Paraíba que, segundo ele, pode ser considerado grave. “Nós temos alta propagação em todas as três macrorregiões do estado sendo mais intenso no Sertão com 94% de ocupação nos leitos UTI adulto e Campina Grande com um cenário alto também, com 80% sendo 90% de enfermaria ocupados. É um cenário preocupante essa ocupação rápida dos leitos hospitalares. Mas sabemos que mesmo com a ampliação de leitos, essa não é a solução, a solução é usar máscara, álcool e evitar aglomerações”, comentou, em entrevista ao programa Arapuan Verdade, nesta sexta-feira (28).

Conforme o último boletim epidemiológico divulgado nessa quinta-feira (28), a ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 78%. Na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 78%. Já em Campina Grande, o percentual é de 80% e no sertão 94% dos leitos de UTI para adultos estão ocupados. De acordo com o Centro estadual de regulação hospitalar, 112 pacientes foram internados nas últimas 24h. Ao todo, 938 pacientes estão internados nas unidades de referência.

Blog do Dércio

Postar um comentário

0 Comentários