LUCIENE e o GENERAL: 100 DIAS DO 'NOVO' MANDATO - Dezenas de Processos, salários atrasados e nenhuma obra

 Foram 20 mil cidadãos a confiar seu voto em Luciene, a Fofinha, na esperança de dias melhores, embalada pela humildade, simplicidade e simpatia da candidata. Após 4 meses em 2020 como prefeita e 100 dias depois da reeleição, é grande a decepção e o desencanto com a gestão comandada pelo marido, o Fofinho.

Para se eleger prefeita de forma indireta, pela Câmara Municipal, Luciene e o marido venderam a alma ao diabo, ou seja, entregaram-se nas mãos dos vereadores e dos advogados que abocanharam os cargos mais valiosos e colocaram seus parentes e aderentes.

E para conquistar a reeleição, com direito a 4 anos de mandato, o casal Fofinho deitou e rolou na prática de irregularidades, principalmente nas áreas da saúde, educação e bem estar, utilizando verbas e estruturas públicas para comprar votos para si e para os vereadores que dominavam as pastas.

Isso resultou em 3 Ações de Investigação Judicial Eleitoral - AIJEs, impetradas pelo Ministério Público, que são verdadeiras bombas atômicas, podendo resultar na cassação da chapa Luciene/Clecitoni.

Após assumir o novo mandato, continuou a bandalheira e, agora, foi a vez de o Ministério Público Federal começar a apurar o festival de roubos na saúde, atingindo as verbas enviadas para o combate ao corona vírus. De cara, um rombo de R$ 600 mil na compra de Testes Rápidos. Só para começar.

 

Vamos ver, então, as façanhas da prefeita Luciene e do maridão Fofinho, nesses 100 DIAS de desgoverno:

- INCHAÇO da Folha de Pagamento, com a nomeação de dezenas de familiares de vereadores e parentes e aderentes;

- ATRASO no pagamento aos servidores contratados e comissionados. Hoje, dia 11 de abril, ainda não receberam os salários de março.

- CALOTE nos servidores. Em 2020, após a eleição, a prefeita demitiu todos os servidores contratados e comissionados, na metade do mês. Depois, os que voltaram a ser nomeados só receberam a metade dos salários. E os que saíram, não receberam nada. Agora, em 2021, ela fez a mesma coisa. Ainda não pagou nem a metade dos salários.

- PROCESSOS: Luciene, em obediência às ordens do marido Fofinho, praticou irregularidades cabeludas que lhe renderam já cerca de DUAS DEZENAS de processos, Dificilmente escapará da cassação e da cadeia.

- ACUSAÇÃO de superfaturamento e desvio de R$ 600 mil na compra de Testes Rápidos de Covid 19;

- ACUSAÇÃO de superfaturamento na contratação de uma empresa de coleta de lixo envolvida na Operação Calvário. Enquanto Berg pagava R$ 550 mil pela coleta, Luciene vai pagar R$ 800 mil à nova empresa. Há suspeita fortíssima de arrumadinho e propina.

- ACUSAÇÃO de superfaturamento no aluguel de estruturas metálicas para os Pavilhões Covid, a um empresário/vereador condenado pela Justiça Federal e cassado pela Câmara Municipal de Santa Luzia.

- SUSPEITAS na compra de respiradores a uma Farmácia de Guarabira e no aluguel de equipamentos de imagem a uma pequena empresa  de Mangabeira;

- SUSPEITAS de superfaturamento na Sanitização das Escolas e Creches, por quase R$ 500 mil, pagos a uma empresa de Pernambuco já bichada no Tribunal de Contas daquele Estado;

- SUSPEITAS de superfaturamento na contratação de outra empresa de Pernambuco, por R$ 4 milhões e 300 mil, para passar cal e retelhar as escolas municipais;

E tem muito mais.

Mas vamos dar o crédito que a Prefeita de Direito (Luciene) e o Prefeito de Fato (Fofinho) merecem:

Conseguiram tapar o buraco na subida do Aeroporto, onde a prefeita entrou; e instalaram uma porta de vidro nova na Secretaria de Saúde. Estas foram as duas grandes ações da Prefeita Luciene e do Prefeito Fofinho nesses 100 DIAS da ‘nova’ gestão.

 

Postar um comentário

0 Comentários