Advogado nega extorsão de delegada e acusa policial rodoviário de furto qualificado

  O advogado da delegada Maria Soledade, presa na Operação Cara de Pau deflagrada pelo Núcleo de Controle da Atividade Policial (NCAP), em conjunto com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e Ministério Público da Paraíba, Aécio Farias, comentou em entrevista ao Programa Tribuna Livre da TV Arapuan, nesta sexta-feira (23), que estranhou a divulgação de imagens onde a delegada aparece supostamente tentando extorquir um agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e apontou que o agente estaria sendo investigado pela delegada por suposta prática de furto qualificado em uma cachaçaria em Alagoa Grande.

“A delegada vem desenvolvendo um trabalho há quase 40 anos, tem única e exclusivamente exercido sua função. Não tivemos acesso à investigação, mas conversando , ela me contou que o policial rodoviário federal estava sendo investigado por furto qualificado, pois após passar o dia bebendo, invadiu uma cachaçaria e furtou cachaças. A delegada fez seu trabalho e já havia iniciado o inquérito, ouvido testemunhas e naquele dia ocorreu o interrogatório do acusado. O próximo passo seria encaminhar a justiça. É de se estranhar . A quem interessa que o trabalho da delegada não fosse concluído?”, questionou.

Farias apontou ainda que viu o vídeo pela imprensa e que as filmagens “de péssima qualidade”, não provam que a delegada recebeu dinheiro. “Ela alega inocência. A acusação é esdrúxula, a própria justiça fez voltar ao cargo, tanto que ela estava exercendo sua função e ontem teria plantão na delegacia de Guarabira, porém, por força dessa medida, a decretação da prisão, não houve. Hoje terá a audiência de custódia e ingressamos junto ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para que voltassem às audiências de custódia”, explicou.

Nessa quinta-feira (22), em entrevista ao Sistema Arapuan de Comunicação, o coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Octávio Paulo, afirmou que a delegada é reincidente, e que se ela cometeu este tipo de crime contra um agente policial, imagina o que é capaz de fazer contra um cidadão comum.

Portal Paraíba

Postar um comentário

0 Comentários