Vereador diz que prefeito tem que explicar à justiça aumento de 200% no salário da cunhada e perseguição aos pobres de Alhandra com suspensão do Mais Renda

 A farra das gratificações continua em Alhandra! É o que garante o vereador João Sufoco que acionará a justiça para que o prefeito explique as diversas gratificações concedidas a aliados e familiares em período de pandemia. Enquanto isso, o mesmo gestor suspendeu o pagamento do bolsa família municipal (Mais Renda), alegando que nesse período a realização do pagamento geraria uma aglomeração. Com isso, cerca de 1.000 famílias carentes estão sem receber o auxilio financeiro mensal, criado pelo ex-prefeito Renato Mendes.

“Enquanto dá gratificação aos funcionários que já são contemplados com altos salários, esse prefeito persegue os pobres e tira o dinheiro de comprar uma cesta básica, um botijão de gás. Ele suspendeu o Mais Renda e ainda cometeu um grave erro ao usar um decreto para suspender uma lei aprovada na Câmara”, disse o parlamentar.

O vereador citou alguns casos de gratificações vergonhosas, a exemplo da gratificação para o diretor de uma biblioteca que nem existe. No mesmo dia que foi nomeado, o diretor que é filho do secretário de finanças recebeu a gratificação de 100% em cima do salário base.

João Sufoco disse que isso é um absurdo, mas uma lei municipal permite até 100% de gratificação. O que é vergonhoso mesmo foi a gratificação de mais de 200% concedidos no contracheque da cunhada do prefeito. “Ela ganha um salário base de R$ 1.100 reais e teve uma remuneração de R$ 2.430,00 e passou a ganhar R$ 3.221,60. Eu queria saber onde está essa lei? Existe lei no município que permite até 100% de gratificação, só que mais de 200% eu não vi não. Essa eu vou levar ao conhecimento do Ministério público”, disse o vereador.

O parlamentar garante que o prefeito Marcelo Rodrigues sempre perseguiu os mais pobres e terá que explicar à justiça para onde está indo o dinheiro que não foi pago às 1.000 famílias carentes, tendo em vista que esses pagamentos mensais estavam previstos no orçamento para este ano. “É um perseguidor dos pobres de Alhandra. Mas, ele terá que explicar ao Ministério Público a farra das gratificações e o corte do Mais Renda, suspendendo uma lei com um decreto”, concluiu.

 

 

Postar um comentário

0 Comentários