Sindicato denuncia caos na Educação de Bayeux e MPPB notifica prefeita

 Ministério Público do Estado da Paraíba (MPPB) acatou denúncia do Sindicato dos Servidores Municipais de Bayeux (Sintramb) e notificou a Prefeitura do Município. A denúncia teve objetivo alertar o órgão sobre o quadro deficitário de professores nas escolas.

A denúncia, que teve como base o relato de professores que estão vivendo a precarização da educação no município, também trouxe como pauta o atraso do início do ano letivo, que foi adiado por duas vezes devido à falta de professores, e a não concessão da jornada suplementar dos servidores (dobras).

“Agradecemos as mais de 150 denúncias dos professores que nos auxiliaram para colher depoimentos e entrar com a denúncia junto ao MPPB”, destacou a presidente do Sintramb, Germana Vasconcelos.

“É um descaso nunca visto na história de Bayeux, o pior início de ano letivo da história do município. Tendo em vista a situação de pandemia que estamos vivendo, este é um momento em que a prefeitura deve ter mais consciência em ajudar os alunos e manter o quadro de professores”, acrescentou a sindicalista, lembrando ainda que a concessão das dobras é um direito previsto no PCCR, garantido em todas gestões desde 2010, afirmou.

Germana pontuou que, ainda de acordo com as denúncias recebidas pelo sindicato, a gestão da prefeita Luciene de Fofinho não dispôs de nenhum recurso tecnológico e internet aos alunos. “As aulas remotas só aconteceram graças ao esforço e financiamento dos professores e dos pais e alunos, que usaram seus celulares próprios”, disse.

“O sindicato tem feito o possível para atender e representar as demandas dos servidores, realizando campanhas de mobilização, tentando apresentar a situação em que vive o município de Bayeux e a precarização do servidor público. A educação de Bayeux pede socorro!”, concluiu a sindicalista.

ParaibaJá

Postar um comentário

0 Comentários