PC prende mulher condenada por matar idosa para roubar 20 reais em Queimadas; marido está preso pelo mesmo crime

  Policiais da 11ªDSPC deram cumprimento a um Mandado de Prisão Definitiva contra uma mulher acusada, juntamente com o marido, de matar uma idosa de 74 anos de idade e atear fogo na casa da vítima.

O crime ocorreu no dia 07 de julho de 2019 no Conjunto Correia Lima II, em Queimadas.

Na época do crime Milena da Silva Pachu, então com 20 anos, e o marido Jorge Luís Gonçalves da Silva, com 21, foram presos em situação de flagrante.

O marido ficou preso, porém ela estava em liberdade. A condenação dela é de 46 de reclusão. Ela foi contratada pela vítima como cuidadora

ENTENDA O CASO

Na manhã do domingo, 07 de julho de 2019 Maria José da Silva, 74 anos, e o marido dela, Graciano Mendes da Silva, de 85, foram vítimas de latrocínio e tentativa de latrocínio respectivamente.
O crime ocorreu no Conjunto Correia Lima II.

Na tarde da segunda-feira, 08 de julho, policiais civis Núcleo de Homicídios de Queimadas e PMs da 3ªCompanhia/Boqueirão prenderam o casal acusado (Jorge Luiz e Milena)
A dupla ainda ateou fogo na residência para dificultar o trabalho da polícia.

O CRIME

Maria José fiou morta com 4 golpes de faca no pescoço e depois teve a casa incendiada. O objetivo do incêndio era matar também o marido dela "seu" Graciano que é cadeirante e enfermo.

Os vizinhos viram o fogo e realizaram o socorro, porém dona Maria José não resistiu. Na época o delegado seccional era Iasley Almeida.

Ele disse que “foram realizadas diligências pela equipe investigativa, quando se descobriu que a presa Milena Pachu tinha sido contratada pela senhora Maria José para trabalhar como cuidadora, pois não conseguia dar conta dos afazeres domésticos e cuidar do seu companheiro Graciano. Contudo, ao invés de prestar os serviços de cuidadora Milena, juntamente com seu companheiro Jorge Luiz, arquitetaram um plano para roubá-los”.

O delegado informou também que “no domingo (dia do crime) estiveram na residência do casal de idosos sob o pretexto de trabalharem como cuidadores, mas na verdade já preparados para atos de violência para subtração patrimonial, e já no interior da casa, Jorge, aproveitando que a senhora Maria José estava de costas deu um forte golpe da cabeça dela usando um instrumento para amaciar carne, mas como ela não desmaiou, passou a esganá-la e, por fim, desferiu golpes fatais com uma faca levando a sua morte, e depois incendiaram a casa que não se alastrou e não gerou danos de grande proporção”.

O delegado Iasley Almeida disse também que “nesse trabalho investigativo colheu-se relatos de testemunhas e vizinhos que informaram que viram os presos fugindo da casa das vítimas e os reconhecendo, além de dizer que teriam sido contratados como cuidadores para aquele domingo, bem como foram apreendidos objetos usados na prática do crime e de roupa que Jorge estava vestindo quando matou a senhora Maria José”.

INTERROGATÓRIO DE MILENA

"Em seu interrogatório Milena Pachu confessou a autoria do crime, revelando que subtraíram do casal a quantia de '20,00 reais' valor encontrado no quarto do casal, contando em detalhes como tinham planejado para assaltar a casa, em razão de terem acesso a ele na condição de cuidadores. Relatou que no momento em que Jorge desferia golpes na vítima, com o objeto de amaciar carne a senhora Maria José disse 'NÃO FAÇA ISSO COMIGO NÃO, VOCÊ TEM UMA MÃE', mas mesmo assim Jorge continuou e progrediu para golpes de faca até conseguir matá-la, com receio de ser reconhecido”.

INTERROGATÓRIO DE JORGE

"Já em seu interrogatório Jorge Luiz negou a prática do crime, dizendo que não estava na casa da vítima no momento do crime, alegando até que tinham passado por lá na manhã do domingo logo cedo, mas que ele e Milena tinha saído logo em seguida”.

Blog do Renato Diniz

 

Postar um comentário

0 Comentários