OPERAÇÃO CALVÁRIO: Ex-secretário de Saúde da PMJP, Adalberto Fulgêncio aparece em delação

  A delação de Bruno Donato, ex-assessor jurídico nos governos de Ricardo Coutinho é a mais democrática de todas. Nela, aparece até Adaberto Fulgêncio, ex-secretário de Saúde de João Pessoa. Segundo o delator, Adalberto teria usado sua influência junto ao então secretário Waldson Souza – após a aliança de RC com Cartaxo – em favor da empresa Tecnocenter Material Medicos Hospitalares, no ano de 2014. Segundo informações repassada ao blog, a atividade de lobista de Fulgêncio já está sendo investigada. Confira um trecho da delação:

Por volta de Julho de 2014, Luciano Cartaxo teria se unido com Ricardo para a campanha de 2014, nessa união Luciano indicou o seu irmão Lucélio para senador na chapa de Ricardo. Uma semana depois, eu estava indo almoçar com Waldson no Restaurante Meio do Mangue localizado na praia do Cabo Branco, Waldson recebe o telefonema de Adalberto Fulgêncio e no telefonema Waldson chama Fulgêncio para ir almoçar com ele. Adalberto tinha acabado de assumir a Secretaria de Articulação Politica. Chegando lá, conversaram sobre como fazer para colocar Ricardo e Luciano em uma reunião, porque apesar de estarem juntos na campanha, eles não se davam bem, no final da conversa, Adalberto diz a Waldson que tem uma empresa parceira dele que estava sofrendo na SES para receber os pagamentos, essa empresa seria a Tecnocenter Material Medicos Hospitalares LTDA, CNPJ nº 06.948.769/0002-01, nessa hora Waldson me cutucou com o pé e disse a Adalberto que iria ver isso. A Tecnocenter vendia medicamentos para a SES.

Dias depois, Waldson me chama na sala dele e me apresenta duas pessoas da empresa Tecnocenter, Alexandre45 que era um funcionário e um dos sócios da empresa (não me recordo o nome dele), nessa reunião foi acertado um percentual sobre os pagamentos feito a Tecnocenter e que quem ficaria responsável para me entregar o dinheiro seria Alexandre, fomos na minha sala e somamos alguns pagamentos, não me recordo do total dessa soma, sei que pelas contas Alexandre iria me repassar R$ 20.000, desse valor ele me deu R$ 12.000, e iria depois me repassar mais R$ 8.000, valor esse que não foi repassado. O destino desse dinheiro foi para comprar de equipamentos para
o QG da inteligência.

PolitikaPB

Postar um comentário

0 Comentários