Governo da Paraíba quer antecipar feriados e projeto deve ser enviado à Assembleia Legislativa

  O governador João Azevêdo (Cidadania) disse que o empobrecimento da população impede a decretação de lockdown, mas que deve renovar o decreto com medidas mais rígidas para tentar frear o número de mortes na Paraíba. Além disso, ele também pretende antecipar alguns feriados para reduzir a mobilidade urbana principalmente nas praias “que são um convite permanente à aglomeração”.

Um dos feriados que deve ser antecipado é da Semana Santa. O projeto deve ser encaminhado para análise da Assembleia Legislativa da Paraíba assim que estiver pronto, antecipou o governador, em entrevista exclusiva à CBN João Pessoa nesta quarta-feira (24).

“Passamos de 4 mil para 5 mil mortes em 50 dias. Se não tomarmos medidas para evitar o contágio acelerado nós vamos apresentar 6 mil morte em 30 dias”, alertou.

Semana mais “rigorosa” e quantidade de insumos 

Segundo governador, é preciso de pelo menos uma semana com um isolamento mais rigoroso e a antecipação dos feriados é uma alternativa que, segundo ele, gera prejuízo menor aos negócios porque a “parada” já estava no calendário.

Na entrevista, Azevêdo destacou ainda que a Paraíba ainda tem uma situação confortável com relação a quantidade de insumos e oxigênio para os próximos 20 dias, mas o gestor demonstrou preocupação com a logística, com o transporte de novos produtos já comprados e com a alta demanda. “A própria indústria não está preparada para produzir tanto oxigênio”, registrou.

Novo decreto

O atual decreto estadual com medidas restritivas perde o vigor nesta sexta-feira (26). Mesmo para os municípios que estão em bandeira vermelha e laranja ele é bem menos rígido do que o que está estabelece o Plano Novo Normal. Comércio e vários setores de serviço, além das escolas particulares, por exemplo, seguem funcionando.

Um dos pontos em debate é a questão dos funcionamentos das escolas com aulas presenciais, diante de informações de contaminações pela covid-19 de professores e funcionários. A preocupação maior do governador, no entanto, é com o feriado da Semana Santa. “São medidas que precisarão ser tomadas para que a gente possa avançar contra esta doença”, ponderou João.

O governador da Paraíba afirmou que as novas regras ainda estão sendo definidas pelo comitê gestor da pandemia, que está reunido desde cedo e vai passar o dia discutindo as medidas. As decisões devem embasar a edição dos decretos municipais, que devem ser seguidos sob pena de judicialização.

Situação crítica

As regras que serão impostas por João Azevêdo terão justificativa nos números da pandemia que voltaram a subir este ano. Mesmo com o decreto, a situação na Paraíba segue preocupante, com 248.4 mil casos confirmados e 5.313 mortes pela doença até esta terça-feira (23).

O governador lembrou que a Paraíba conta atualmente com 1.134 leitos disponíveis para Covid, bem mais do que tínhamos em agosto. Mesmo assim, a questão da ocupação de leitos ainda é bem delicada no estado, chegando a 81%. Na Grande João Pessoa, o índice é de 90%; em Campina Grande, 74%; e no Sertão; 90%.

Secom-PB

Postar um comentário

0 Comentários