Ministro Pazuello pede demissão da Saúde, e Bolsonaro se reúne com cardiologista

  O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está reunido com a cardiologista Ludhmila Rajjar, do Incor e da rede Vila Nova Star, desde o início da tarde de hoje. A profissional é uma das cotadas para assumir o Ministério da Saúde na vaga de Eduardo Pazuello.

Segundo fontes do Ministério da Saúde, o general pediu demissão do posto na manhã de hoje. A informação foi publicada pelo jornal O Globo. Oficialmente, contudo, a pasta afirma que Pazuello continua como ministro.

A reportagem apurou que Bolsonaro e Ludhmila Rajjar estão reunidos no Palácio do Alvorada, residência oficial da Presidência da República em Brasília (DF), desde as 14h de hoje. O encontro ocorre fora da agenda —a assessoria do Planalto disse que não havia previsão de reunião ainda hoje.

Oficialmente, o Ministério da Saúde não confirma a saída do general do cargo. “O Ministério da Saúde informa que até o presente momento o ministro Eduardo Pazuello segue à frente da Pasta, com sua gestão empenhada nas ações de enfrentamento da pandemia no Brasil”, diz o ministério, por meio de nota na tarde de hoje.

Aliados aconselharam Bolsonaro a substituir Pazuello

Fontes do Planalto afirmam que há algum tempo a condução de Pazuello no combate à pandemia vinha sendo alvo de críticas que estariam desestabilizando ainda mais o governo. Bolsonaro passou a ser aconselhado por trocar o ministro.

Apesar da resistência inicial do presidente, assessores palacianos afirmam que é possível que se tenha encontrado uma fórmula para tentar minimizar os danos da troca no comando da Saúde.

Segundo essas fontes, Pazuello alegaria problemas de saúde e pediria para sair. Para isso, no entanto, a ordem era já ter um substituto para anunciar.

Um general próximo ao ministro da Saúde disse que ele não se recuperou completamente depois que teve coronavírus e possui problemas respiratórios.

Outras fontes do Planalto, que ainda não dão como certa a saída de Pazuello, dizem ver pressão do Centrão para demitir o ministro.

Ludhmila atua na linha de frente do combate à covid-19 e já atendeu autoridades no Hospital Vila Nova Star de Brasília, entre eles o ministro Dias Toffoli, do STF (Supremo Tribunal Federal), e o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Crédito imagem: Carolina Antunes/Presidência da República

Diário da Paraíba com UOL

Postar um comentário

0 Comentários