João Azevêdo e mais 15 governadores defendem auxílio emergencial de R$ 600 e encaminham carta aos presidentes da Câmara e do Senado

 João Azevêdo (Cidadania) e mais 15 governadores do Brasil defendem o pagamento do auxílio emergencial de R$ 600 e com os mesmos critérios de 2020. Por conta disso, os gestores encaminharam nesta quarta-feira (24) uma carta direcionada aos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. 

No documento, os governadores apontam o atual cenário da pandemia em relação ao ano anterior e com mais de 300 mil mortes decorrentes da Covid-19. Com isso, solicitam ao Congresso Nacional que disponibilize recursos necessários para o auxílio emergencial em que "superem os valores noticiados de R$ 150,00, R$ 250,00 e R$ 375,00". 

O documento foi assinado pelos governadores da Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Sergipe. Os gestores apoiam a iniciativa de mais de 300 organizações que compõem a "Campanha Renda Básica que Queremos".

Confira a carta:

Postar um comentário

0 Comentários