Com prioridades detectadas e orçamento mais curto, Flamengo tenta acelerar montagem do elenco

  Rogério Ceni antecipou em uma semana seu retorno ao trabalho, e a ideia é acelerar o planejamento do Flamengo para a temporada 2021. Além de montar o cronograma de treinos para o retorno do time principal, está em pauta a montagem do elenco. E as prioridades de reforços já estão traçadas.

Apesar de o elenco já ser considerado forte e campeão, o Flamengo vê como importante a contratação de um goleiro e de um meio-campista versátil, que saiba atuar tanto como volante quanto na armação. O desejo é também um atacante que atue pelos lados, além, claro, do provável retorno do lateral Rafinha, que está próximo de um acordo.

Como assumiu obrigações como a compra de Pedro, o Flamengo tem para esse início de temporada um orçamento curto, sem previsão de verba para compra de direitos econômicos, o que dificulta na hora de sentar à mesa com nomes de maior peso. Há ainda expectativa sobre novas vendas de jogadores, o que poderia ampliar as necessidades do clube no mercado.

Como mostrou grande poder de investimento nos últimos anos, o Flamengo vê as cifras crescerem quando mostra em interesse em algum atleta. Até agora o clube já fechou com o zagueiro Bruno Viana, emprestado pelo Braga, de Portugal.

– Já saímos na frente, contratamos o Bruno Viana. Temos que ter imaginação, bom senso e conhecimento do mercado. Mas não vamos fazer cinco, seis contratações não. Não sabemos se teremos propostas pelos nossos jogadores. Conforme isso acontecer, vamos ajustando também. A gente conversa com Rogério, mas quando ele voltar vamos acelerar – disse Marcos Braz em entrevista recente.

A vontade de contratar um goleiro é justificada pela dificuldade física que Diego Alves mostrou em 2020, além de ter contrato apenas até o fim do ano. Hugo Souza, que foi titular na reta final da temporada, é visto como um jogador de futuro, mas a atuação contra o São Paulo na última rodada do Brasileiro deixou a sensação de que ainda não está pronto. Entretanto, sabe-se que é difícil achar no mercado um atleta acima da média que não venha para ser titular absoluto.

César, que seria emprestado ao Atlético-GO mas teve que operar o joelho direito por causa de uma lesão nos ligamentos, ficará de seis a oito meses parado.

Globo Esporte

Postar um comentário

0 Comentários