Igreja critica jejum proposto por prefeito de Cabedelo: “Faremos ao invés do jejum uma vigília de clamor ao Ministério Público”

 O jejum proposto pelo pelo prefeito de Cabedelo, Vítor Hugo (DEM), como forma de combater uma espécie de “guerra espiritual” contra a Covid-19, além de ter ganho destaque na mídia nacional, também repercutiu no segmento religioso. E não foi de forma positiva.

Em nota, a Igreja da Comunidade Metropolitana em Cabedelo (ICM), repudiou a postura do prefeito e classificou o “jejum” de espetacularização. De acordo com a nota, Vítor Hugo zomba da população que clama por ações concretas na Saúde, a exemplo da inauguração do Hospital Geral de Cabedelo.

“Seu chamado ao jejum transparecendo uma pseudo-santidade, zomba da população que roga e clama por ações concretas na saúde e a todo estado pandêmico da Covid-19, o povo de Deus clama no deserto pela inauguração do antigo Hospital Geral de Cabedelo, que tem previstos leitos de UTI e a possibilidade do atendimento humanizado a seu povo. Vale salientar que as obras do hospital estão atrasadas a 01 ano”, diz trecho da nota.

A igreja ainda endurece o tom das críticas ao prefeito ao afirmar que “faremos ao invés do jejum uma vigília de clamor ao Ministério Público e órgãos necessários para que haja providências quanto a morosidade da abertura desse hospital e a prestação de contas de um serviço de saúde e assistência que a população de Cabedelo merece”.

Confira a nota na íntegra 

Sábado, 27 de fevereiro de 2021

Nota de Repúdio

A Igreja da Comunidade Metropolitana em Cabedelo vem a público manifestar sua nota de repúdio ao vídeo e notícias vinculados na imprensa do então gestor municipal da cidade de Cabedelo, Vitor Hugo Castelliano, fazendo convite a população cabedelense para no próximo dia 15 de março, fazer um dia de jejum como guerra espiritual contra a COVID-19.

O Mestre Jesus nos ensina como jejuar: “Quando jejuarem para se concentrar em Deus, não façam disso um espetáculo. Vocês podem até conquistar seus quinze minutos de fama, mas isso não os tornará santos. Se você estiver exercitando alguma disciplina espiritual no coração, aja normalmente diante dos outros. Lave bem o cabelo e o penteie, escove os dentes e lave o rosto. Não é preciso nenhum artifício para chamar a atenção de Deus. Ele não vai deixar de ver o que você está fazendo; ele o recompensará muito bem” (Mt 6: 16-18).

Seu chamado ao jejum transparecendo uma pseudo-santidade, zomba da população que roga e clama por ações concretas na saúde e a todo estado pandêmico da COVID-19, o povo de Deus clama no DESERTO pela inauguração do antigo Hospital Geral de Cabedelo, que tem previstos leitos de UTI e a possibilidade do atendimento humanizado a seu povo. Vale salientar que as obras do hospital estão atrasadas a 01 ano! 01 ano de espera, 01 ano de expectativas, 01 ano de atraso, 01 ano de descaso.

O povo clama no deserto por ações na Assistência Social! As pessoas que menos tem e mais sofre com a falta de implementações de ações, que vão além da distribuição de mascaras. O povo clama por vacinação a toda a população e diz NÃO a brincadeira de saúde pública que vem ocorrendo nesta cidade comprovadas a todo momento com fotos de pessoas da sua gestão realizando aglomeração em bares, praias e outros espaços, enquanto dependemos unicamente de leitos do Estado, já que temos um hospital sucateado.

Faremos ao invés do jejum uma vigília de clamor ao Ministério Público e Órgãos necessários para que haja providências quanto a morosidade da abertura desse hospital e a prestação de contas de um serviço de saúde e assistência que a população de Cabedelo merece!

Assim como diz nosso credo: “Resistiremos ativamente aos sistemas e estruturas que estão destruindo toda a criação”.

Senhor prefeito, fostes eleito para governar para um povo e não para conclamar jejuns, orações e guerras espirituais. Seja um governante, assumindo atitudes de cuidado e bem-estar social a todos/todas, e cuide de cada voto que o povo depositou confiante que o senhor estaria capacitado para gerir a cidade.

Willams da Penha Silva

Pastor da ICM Cabedelo

Postar um comentário

0 Comentários