CLIMA QUENTE: Presidente barra votação de projeto de igrejas e templos religiosos e causa bate-boca na Câmara de Santa Rita

blank O clima esquentou na Câmara Municipal de Santa Rita durante a sessão ordinária desta quinta-feira (25). Uma discussão acalorada entre o vereador Farias França (Podemos) e o presidente da Casa, Cícero Medeiros (Progressistas) pesou o ambiente é só acabou com a intervenção de Alysson Gomes fPSL).

Em pauta, o Projeto de Lei n.° 007/2021, de autoria do vereador Célio Rufino (Podemos) que propõe tornar serviço essencial igrejas e templos religiosos de todo e qualquer culto na cidade.

Posto em pauta, os vereadores queriam votá-lo hoje, utilizando as ferramentas regimentais, como a dispensa da ida da matéria à Comissão de Constituição e Justiça ou até mesmo que se suspendesse a sessão por alguns minutos para que os membros da CCJ, presentes à sessão emitissem o parecer acerca do remo e o liberasse para votação em plenário.

Foi o que Farias propôs, destacando, inclusive, ter ciência de que o pronto de Célio não visa abrir as igrejas e templos em meio ao decreto de fechamento desses locais pelo Governo do Estado, mas tratar-se de dar uma resposta ao público religioso da cidade, fazendo a regulamentação do serviço.

Irredutível, Cícero quis mostrar autoridade e insistiu em enviar o PL à comissão, barrando a sua votação, fazendo com que o projeto só venha ser novamente apreciado pelo colegiado na próxima semana.

Jackson Alvino (PSD), presidente da CCJ, garantiu que se reuniria com  Alysson Gomes (PSL), relator da comissão, e Nininho do Bode (PSDB), membro, ainda na tarde de hoje para resolver a questão e devolver o PL 007 à Mesa para ser votado na próxima terça-feira (2).

Assista à discussão:

Crédito imagens: Reprodução

Postar um comentário

0 Comentários