Famílias com doentes em casa madrugam em fila para tentar comprar oxigênio em Manaus

  Desde a tarde desta sexta (15) até a manhã deste sábado (16), famílias com doentes em casa permaneceram em uma fila, em frente a uma empresa privada fornecedora de oxigênio, para tentar comprar o produto. Porém, eles são informadas que a empresa aguarda reposição.

Manaus enfrenta colapso no sistema de saúde por conta da falta de oxigênio nos hospitais, que estão lotados devido a um novo surto da Covid-19. Mais de 20 pacientes já foram transferidos a outros estados, mas a previsão do governo é enviar mais de 200.

O autônomo Osmir Magalhães está com o pai sendo tratado em casa. Ele conta que chegou na fornecedora às 13h desta sexta, e até a manhã deste sábado não conseguiu reabastecer os cilindros.

"Não dormi, não fui em casa, só me alimentei porque o pessoal da igreja tá vindo aqui, trazendo alimentos, água, sopa. Mas não 'arredei' o pé daqui. Quando chegam, dizem que não tem, nunca tem, mas chega carros privados e saem com cilindros", disse.

O gerente administrativo Richard Rodrigues trabalha em uma empresa médica que presta atendimento a domicílio. Ele esteve no local para comprar oxigênio, mas também não conseguiu.

"Já estamos na fila há mais de 24h. Nossa empresa tem mais de 23 pacientes internados em casa, home care, com Covid. Eles estão falando que não tem gás de oxigênio, mas tem sim. De hora em hora você vê carro entrando, mas a população toda tá desorientada sem saber o que fazer", relatou.

O empresário Eraldo Júnior foi comprar oxigênio para doar a unidades de saúde de Manaus. Ele diz que uma enfermeira, e a diretora de uma unidade, pediu o apoio dele para recarregar cilindros de oxigênio que tinham acabado no local.

"Eu to doando, minha empresa tá doando. Quero ajudar, a gente tem o cilindro, tem a parte financeira, mas o mais importante a gente não tem, que é o oxigênio", declarou.

Um senhor que se identificou apenas como Eliomar disse, revoltado, que a mãe dele, de 80 anos, está do lado de fora do Hospital Platão Araújo, recebendo oxigênio de uma ambulância, por falta do gás na unidade.

"Ontem eu passei a tarde todinha aqui. O procurador deixou bem claro que a preferência era para os hospitais. E a minha mãe tá lá tomando oxigênio dentro da ambulância. Oxigênio não tem no pronto-socorro, então cadê e porque eles não liberam isso aqui?", questionou.

A Rede Amazônica buscou um posicionamento da empresa fornecedora sobre as reclamações, mas ainda não obteve resposta.

Oxigênio chegando a Manaus

Manaus recebeu, na madrugada deste sábado (16), uma carga de 70 mil metros cúbicos de oxigênio, vinda por meio de balsas da cidade de Belém. Segundo o Governo do Amazonas, a nova remessa deve garantir a "retomada do do equilíbrio do abastecimento da rede de saúde do estado para os próximos dias".

Uma força-tarefa foi montada pelos governos estadual e federal, além de diversos outros órgãos e doadores, para enviar oxigênio para a cidade ao longo da semana. Um avião que iria à Índia buscar vacinas irá trazer oxigênio de Campinas a Manaus neste sábado.

Aviões das Forças Armadas enviaram 5 mil metros cúbicos para hospitais de Manaus nesta semana, segundo nota do Ministério da Saúde. A capital também recebeu cargas de oxigênio e doações de diversos estados e artistas, como Whindersson Nunes e Gusttavo Lima.

"Hoje nós temos um aumento significativo, extraordinário. Em menos de 15 dias, passamos de 15 mil m³ para 75 mil m³, superando a capacidade que o fornecedor tinha de produzir oxigênio", disse o governador Wilson Lima à GloboNews, nesta sexta.

Postar um comentário

0 Comentários