Governo prepara MP que libera R$20 bilhões para vacinação contra Covid-19

  Frascos rotulados como de vacina contra Covid-19 em foto de ilustraçãoBRASÍLIA (Reuters) - O governo federal está preparando uma medida provisória que libera 20 bilhões de reais do Orçamento para a vacinação contra a Covid-19, incluindo a compra de imunizantes que forem aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), disse nesta sexta-feira uma fonte com conhecimento da questão.

Em fala no fim da tarde em audiência pública remota da Comissão Mista da Covid-19 do Congresso, o ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que o custo para se realizar uma vacinação em massa no país será de cerca de 20 bilhões de reais.

Até o momento, o governo já editou duas MPs relativas a recursos para vacinas, uma com 1,9 bilhão de reais para acordo entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e o laboratório AstraZeneca e outra, de 2,5 bilhões de reais, para o ingresso do Brasil no programa global de imunizantes Covax.

Além desses acordos, o governo federal negocia a compra de doses da vacina da Pfizer, a primeira do mundo a receber aprovação para uso em larga escala, em países como Reino Unido e Canadá. Governadores e especialistas em saúde pública pressionam o governo para também incluir a chinesa CoronaVac no plano nacional de imunização.

Após se reunir com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (DEM), disse também nesta sexta ter sido informado por ele que “toda e qualquer vacina registrada” que seja produzida no país ou importada será requisitada pela pasta para o combate à Covid-19.

O ministério, entretanto, não confirmou a questão específica da eventual requisição de vacinas.

A publicação pode ser encarada como uma referência indireta a João Doria (PSDB), governador de São Paulo. O Instituto Butantan, vinculado ao governo paulista, testa no Brasil a CoronaVac, potencial vacina contra Covid-19 da chinesa Sinovac e iniciou o envase de doses da vacina no país com uma capacidade que chegará a 1 milhão de doses diárias.

Doria anunciou nesta semana que iniciará, em 25 de janeiro, a vacinação contra Covid-19 em São Paulo e já fechou acordos com outros Estados e municípios para fornecer o potencial imunizante.

O governador tucano publicou comentários no Twitter na tarde desta sexta-feira, após a postagem de Caiado. “Os brasileiros esperam pelas doses da vacina, mas a União demonstra dose de insanidade ao propor uma MP que prevê o confisco de vacinas. Esta proposta é um ataque ao federalismo. Vamos cuidar de salvar vidas e não interesses políticos”, disse.

Recentemente, o presidente Jair Bolsonaro, que é desafeto político de Doria, chegou a desautorizar uma declaração de Pazuello que o governo federal compraria doses da vacina chinesa. Bolsonaro afirmou ainda que a CoronaVac não inspirava segurança na população dada a sua origem.

Microsoft News

Postar um comentário

0 Comentários