Juíza define fiança de R$ 6 milhões para policial acusado de matar George Floyd

Derek Chauvin, o policial de Minneapolis que pressionou o joelho no pescoço de George Floyd por quase nove minutos enquanto o homem implorava por sua vida, teve sua fiança fixada em US$ 1,25 milhão (cerca de R$ 6 milhões) durante uma audiência nesta segunda-feira (8).

Como seus colegas policiais que foram presos, foi oferecido a Chauvin uma fiança reduzida de US$ 1 milhão (cerca de R$ 4,8 milhões) se ele concordar com certas condições, incluindo não trabalhar em segurança ou aplicação da lei, não ter contato com a família de Floyd, não deixar Minnesota e entregar todas as armas de fogo e permitem.

Se ele pagar a fiança, sua libertação será supervisionada, disse a juíza Jeannice Reding. Usando um macacão laranja da prisão, máscara azul e algemas, Chauvin apareceu por meio de um link de vídeo. Ele está detido no Minnesota Correctional Facility-Oak Park Heights, em Stillwater, nos arredores de Minneapolis.

O advogado de defesa Eric Nelson não se opôs ao valor da fiança e disse que reservaria quaisquer questões sobre fiança para futuras audiências. Após o processo, ele saiu imediatamente e não estava disponível para comentar.

O alto valor da fiança foi o produto da natureza de alto perfil dos supostos crimes e da agitação que se seguiu, disse o promotor Matthew Frank.

“O acusado apoiou o joelho no pescoço de Floyd por aproximadamente nove minutos”, disse Frank. “A morte de Floyd teve uma forte reação na comunidade, para dizer o mínimo.”

Chauvin foi preso no mês passado e inicialmente acusado de assassinato em terceiro grau e outros crimes. Na semana passada, os promotores acrescentaram uma acusação de assassinato em segundo grau.

Os outros três policiais envolvidos na morte de Floyd – Thomas Lane, J. Alexander Kueng e Tou Thao – foram acusados ??de ajudar e favorecer o assassinato em segundo grau e ajudar e favorecer o homicídio em segundo grau.

Cada um deles está preso sob fiança de US$ 1 milhão e está agendado para o tribunal em 29 de junho, de acordo com os registros dos presos.

A próxima data marcada para o julgamento de Chauvin também é 29 de junho.

Funeral
Nesta sexta os protestos pela morte seguem pelo país, com menor intensidade e, em geral, de forma pacífica. Em Houston, no Texas, onde reside a família de Floyd, grandes filas foram registradas durante cerimônia de homenagem na igreja Fountain of Praise.

Para seguir as regras de distanciamento social, apenas 15 pessoas são permitidas por vez dentro da igreja, e não podem permanecer por mais de dez minutos no local após verem o corpo.

G1

Postar um comentário

0 Comentários